Publicado em Deixe um comentário

Asma Induzida por Alergia Alimentar

Artigo escrito por Dr. Isaac A. Tenório

A alergia alimentar, mediada ou não por IgE, é resultante de um distúrbio imunológico provocado pelo contato com certa proteína via ingestão, inalação ou contato, que se exterioriza por sintomas em qualquer órgão alvo do corpo humano.

Milhares de pessoas no mundo todo são diagnosticadas com asma, sendo a doença crônica mais comum em crianças.

A asma é uma causa significativa de morbidade e mortalidade na população, principalmente nos grandes centros urbanos.

investigation-2458540_1920.jpg

Seis alimentos mais comumente associados a alergia alimentar e a asma por IgE específica:

  • Ovo
  • Leite
  • Soja
  • Amendoim
  • Trigo
  • Peixe

Há de se tomar cuidado com os alimentos que possuem características comuns, já que podem desencadear alergia quando em contato, por exemplo, pessoas alérgicas a camarão, podem não tolerar outros crustáceos, assim como os alérgicos ao amendoim, podem não tolerar soja, ervilha ou feijão. Por isso, em um primeiro momento é importante retirar da dieta os alimentos mais prováveis de causar alergia.

 

A inalação do alimento

Os alimentos geralmente induzem resposta alérgica quando por contato físico direto, no entanto, observa-se que crianças com alergia alimentar, parecem desenvolver sintomas quando no mesmo ambiente onde está sendo preparado, sugerindo que o alimento pode ter sido absorvido por via respiratória como um aero-alérgeno. Pode também o alimento entrar na via respiratória em consequência do refluxo gastroesofágico que coexiste com a asma. Sendo assim, provocam uma resposta imunológica do sistema respiratório, causando o sintoma.

Por outro lado, as proteínas alérgenas podem alcançar os pulmões, após absorção inadequada no trato digestório, pela circulação sanguínea, levando os linfócitos ativados para o órgão de choque, que, nesse caso, são os pulmões.

Crianças e adolescentes podem ter sintomas respiratórios de asma por inalação do alérgeno enquanto o alimento está sendo preparado na cozinha, principalmente durante a fervura, cozimento ou fervura. As partículas suspensas no ar são inaladas e entram em contato com a mucosa levando a uma resposta alérgica.

 

Os sintomas da asma por alergia alimentar

É muito comum de se encontrar um alimento que induz a asma em crianças jovens, principalmente quando associada a dermatite atópica.

Os principais sintomas broncopulmonares são semelhantes ao da asmas e consistem em broncoespasmo com dispneia, tosse e sibiliância. Também está presente na maioria dos casos, uma secreção abundante. Há um grande risco de anafilaxia generalizada, pois a alergia alimentar em asmáticos é um fator de risco adicional para a reação anafilática.

A asma, no entanto, raramente ocorre isoladamente de outros sintomas, podendo acontecer concomitantemente com urticária, eritema cutâneo, coceira na garganta, dor abdominal e vômito. A Urticária seguida de asma é um importante sinal de alerta para a chegada da anafilaxia.

 

Diagnóstico

Para avaliação é fundamental a coleta da história clínica, checando os fatores desencadeantes da asma, para uso da avaliação e determinação de tratamento ideal. A alergia alimentar é diagnosticada caso haja histórico de reações imediatas ao menos em duas ocasiões dentro do tempo de exposição de uma hora, por via oral, com o alimento. Esta situação é bem clara como uma alergia mediada por IgE.

Se a alergia alimentar que produz asma apresentar mediação não IgE, os sintomas podem levar dias para aparecer, e a história clínica acaba por perder o seu valor.

As histórias clínicas são confirmadas através de teste cutâneo positivo ou anticorpos detectáveis de IgE no soro (RAST).

 

Tratamento

A base para o tratamento está na identificação dos alérgenos alimentares e a sua retirada da dieta. Essa é a principal medida de dessensibilização. Quando na fase aguda da doença, os corticosteroides e os broncodiladores têm indicação para o tratamento do broncoespasmo.

Sabemos que a alergia alimentar na infância é um tratamento caro. Os pacientes têm risco de desenvolver reações anafiláticas e a asma em crianças normalmente está associada a altos níveis de IgE no soro, sendo uma solução a imunoterapia alergênico-específica para os pacientes com asma por alérgenos alimentares e respiratórios, buscando a tolerância com o passar do tempo para o alérgeno específico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *